Ir para o conteúdo

Prefeitura de Votorantim e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Votorantim
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
SET
15
15 SET 2021
Projeto ‘De mãos dadas’ visa a inclusão de estudantes estrangeiros em escola municipal de Votorantim
O primeiro passo é inserir a língua crioula e a cultura haitiana no ambiente escolar para melhorar a aprendizagem e a socialização dos estudantes

A presença de sete crianças haitianas matriculadas na Escola Municipal Eugênia Maria da Silveira, no Jardim Tatiana, motivou a direção da instituição de ensino a criar o projeto “De mãos dadas”. O objetivo da ação é inserir a língua crioula e a cultura do país caribenho no ambiente escolar para melhorar tanto a aprendizagem quanto a socialização dos estudantes.

A ideia é estender o projeto além dos limites da escola e atingir os familiares dos alunos estrangeiros. Para isso, uma equipe multidisciplinar foi montada com a participação de educadores, psicóloga e assistente social.   

O “De mãos dadas” será desenvolvido em cinco etapas. A primeira foi realizada no início do mês com a apresentação do projeto.

A segunda etapa ocorreu nesta quarta-feira (15) nas dependências da Escola Municipal Eugênia Maria da Silveira. O encontro teve a presença da assistente social Carla Cristina Portela de Jesus da Mota, especialista em gênero, sexualidade e direitos humanos pela Fiocruz.

Carla representa o Instituto Kayton em Ação, de Sorocaba, cujo trabalho é desenvolvido com refugiados e imigrantes para a garantia dos direitos sociais. Diante de funcionários da escola, a palestrante detalhou características culturais, sociais e comportamentais dos haitianos para as crianças serem melhor atendidas por parte dos profissionais da instituição de ensino.  

No terceiro encontro, possivelmente no fim de setembro, a escola receberá os familiares dos alunos haitianos. Nesse dia, os convidados ganharão uma cartilha desenvolvida pela instituição de ensino com informações em português e em crioulo.

O conteúdo da cartilha terá nome, endereço e telefone de locais públicos da região do Jardim Tatiana, na qual as famílias vivem. A lista contará com dados de escolas, do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) e unidade de saúde. O objetivo é facilitar o acesso desses imigrantes, os quais ainda não compreendem a língua portuguesa.  

A penúltima etapa do projeto já contará com o aprendizado da língua crioula. Funcionários da escola serão ensinados a falar frases do dia a dia, importantes para as crianças, relacionadas à alimentação, saúde e higiene pessoal.

Na prática, as portas terão as palavras grifadas em português e crioulo. O mesmo ocorrerá em bebedouros, no banheiro e no refeitório. 

O encerramento do projeto terá um novo encontro das famílias haitianas. A ideia é promover apresentações culturais do país.
Seta
Versão do Sistema: 3.1.6 - 03/11/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia